Análise: Tricolor se perde na segunda etapa e dá adeus à Copa do Brasil

Copa do Brasil
São Paulo está eliminado da Copa do Brasil (Créditos: Marcos Ribolli)

Não foi fácil vir aqui escrever sobre mais uma eliminação do Tricolor na temporada 2018. Foi e está sendo muito difícil digerir o que aconteceu na noite de ontem(19), no Estádio do Cícero Pompeu de Toledo – Morumbi.

Os 27.812 torcedores presentes enfrentaram lentidão no trânsito e lotação no transporte público para chegar ao estádio. Até porque, chegar às 19h15 no Morumbi, região isolada do centro da cidade é praticamente impossível. Muitos chegaram no estádio já com a bola rolando.

Mesmo precisando da vitória para se classificar às oitavas da Copa do Brasil, Diego Aguirre escalou o Tricolor com 3 zagueiros (Arboleda, Rodrigo Caio e Militão), e 3 volantes (Jucilei, Petros e Liziero). Valdívia e Régis atuando como alas e Nenê armando as jogadas completaram o meio campo tricolor, com Trellez mais avançado no ataque.

O time do São Paulo começou apertando a saída de bola do Atlético-PR, dificultando a troca de passes, principal qualidade da equipe de Fernando Diniz. Os paranaenses tiveram que recorrer ao chutão para se livrar da intensa marcação do Tricolor.

Marcando com intensidade e chegando com perigo pelas laterais do campo, O São Paulo criou algumas boas oportunidades. Logo no começo da partida, Petros desperdiçou uma chance de ouro para abrir o placar. O camisa 6 recebeu assistência de Valdívia, e sozinho na marca do pênalti, chutou para fora. O Tricolor manteve o ritmo e 20 minutos depois conseguiu abrir o marcador. Régis foi até a linha de fundo e cruzou para a área, Nenê desviou de calcanhar e Valdívia mandou um chute lindo, no ângulo do goleiro Santos. Tricolor 1×0, resultado que levava a decisão para as penalidades máximas.

Empurrado pela torcida, o São Paulo se sentia a vontade no jogo, e não demorou muito para o Morumbi explodir de alegria novamente. Em falta sofrida por Jucilei, o juíz deu vantagem, Nenê foi até a intermediária e arriscou o chute. A bola desviou em Thiago Heleno e enganou o goleiro Santos. São Paulo 2×0, placar que classificava o time do Morumbi para a próxima fase da Copa do Brasil.

Com a vantagem no placar agregado, o São Paulo deixou a bola com o Atlético-PR e se fechou na defesa, mas em questão de minutos, o Furacão teve um pênalti ao seu favor. Liziero deu carrinho dentro da área com o braço aberto. Na cobrança, Guilherme diminuiu para os visitantes. 2×1 São Paulo.

O gol deu tranquilidade para os visitantes, que vieram para a segunda etapa dispostos a liquidar o jogo. Já o São Paulo se abalou, e voltou do intervalo atordoado. A marcação do time da casa estava perdida, e o Furacão dominava o jogo com muitas triangulações entre Pablo, Nikão e Guilherme. Em questão de minutos o Atlético-PR calou o Morumbi. Pablo viu Matheus Rosetto livre de marcação do lado direito, e o lateral paranaense só teve o trabalho de empurrar para as redes, deixando tudo igual no marcador: 2×2, resultado que eliminaria o Tricolor da competição. Carletto ainda teve a chance de fazer o gol da virada, mas a trave salvou o São Paulo de um desastre ainda pior.

Ao longo do segundo tempo, o Tricolor criou algumas oportunidades. Nenê parou no goleiro Santos. Liziero também perdeu uma grande chance de colocar o São Paulo de volta na partida. O camisa 31 puxou um belo contra ataque, mas finalizou mal. Aguirre ainda colocou Diego Souza, Cueva e Lucas Fernandes na partida para tentar ter um poder ofensivo maior, mas nada resolvia. Nos minutos finais tivemos uma falta para tentar marcar o gol da esperança, mas a partida ficou nos 2×2 e a vaga das oitavas de final com o Furacão, que agora encara o Cruzeiro na próxima fase.

Cueva e Diego Souza não tem mais clima para jogar no São Paulo. Dois atletas descompromissados, que entram em campo andando e atrapalham o rendimento coletivo.  Trellez, apesar de suas limitações estava dando a vida em campo, ajudando na marcação. Marcos Guilherme poderia ter entrado no jogo também.

A zaga que vinha indo bem, foi o ponto fraco do time nessa partida. O 2ºgol do Furacão foi uma falha coletiva tremenda, que não pode se repetir. Time profissional não pode levar um gol desses.

Apesar da eliminação, eu estou gostando do trabalho do Aguirre. Somos um time com uma postura totalmente diferente da época do Dorival, e aos poucos vamos ajeitando a casinha. Precisamos de tempo para formar um time vencedor. Domingo tem jogo contra o Ceará pelo Campeonato Brasileiro, em Fortaleza. Uma vitória fora de casa é essencial para levantar a moral do grupo. Temos que buscar fazer uma campanha digna nesse Brasileiro, e tentar algo mais ambicioso na Copa Sul Americana. VAMO SÃO PAULO!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s